Chromebook com vírus? Como maximizar a segurança no Chrome OS

Um dos grandes argumentos para se ter um Chromebook é a imunidade a vírus. A garantia de não precisarmos utilizar nenhum software de proteção é muito sedutora e nos passa uma tranquilidade muito grande. De fato realizei várias pesquisas e não encontrei nenhum relato concreto de algum chromebook infectado no mundo. Mas, como usuário antigo do Windows, confesso que essa tranquilidade toda me assusta. Será que podemos ficar realmente relaxados? Aprofundei mais a pesquisa e encontrei uma postagem no blog da Malwarebytes com o seguinte título: Yes, Chromebooks can and do get infected (Sim, os Chromebooks podem e são infectados, em tradução livre) que me chamou atenção. A postagem é datada de 19 de dezembro de 2018 e é assinada por Thomas Reed, especialista em segurança autodidata e Diretor da Mac & Mobile. Em seu texto Thomas defende que não há sistema imune de vírus e que já existe um malware que pode afetar o Chrome OS.

Em que pese o texto de Thomas me pareça um apelo mercadológico para vender licenças de seu aplicativo de antivírus (para Android que funciona no Chrome OS), sua argumentação não deixa de ter certa lógica. Nas palavras do próprio Reed:

Como definitivamente já existe um malware que pode afetar os Chromebooks, é razoável instalar um software antivírus em um Chromebook. E, como os Chromebooks estão aumentando em popularidade, também é razoável assumir que os cibercriminosos continuarão a desenvolver mais malwares para obter seu pedaço do bolo. Uma vez que a Caixa de Pandora foi aberta para um dispositivo, sistema operacional, navegador ou outras plataformas, nunca vimos os caras maus se afastando dela. (tradução livre)

Reed também faz distinção entre dois tipos de Chromebooks em seu texto, afirmando que o contágio se dá de forma diferente em cada um. Segundo ele os Chromebooks que tem acesso à Play Store estão sujeitos a infecção por aplicativos maliciosos escondidos na própria loja além de ataques de Phishing e de extensões maliciosas. Já os que não tem acesso aos apps Android só poderiam ser atacados por phishing online e extensões maliciosas. Na argumentação de Thomas: Malware Android = Malware Chrome OS.

Em que pese a Google tenha evoluído o sistema de proteção da Play Store, não é raro lermos notícias sobre aplicativos infectados na loja. Quando isso acontece a big G é rápida na retirada do app da loja mas o estrago já pode ter ocorrido. Vale lembrar que mesmo extensões confiáveis de navegador são alvo de ataques de hakers, como foi o recente caso da extensão web cliper do Evernote que teve uma falha crítica descoberta.

Não estou aqui para ser mensageiro do caos e dizer que você precisa instalar um Software antivírus no seu Chromebook. Eu mesmo não utilizou no meu. Como eu disse, achei o texto dele um apelo a venda, entretanto, os pontos elencados tem sentido. Em que pese o Google e diversas empresas parceiras que utilizam o Chorme OS defendam que o sistema é imune a vírus, o descuido ainda é a maior ameaça que podemos enfrentar. Olhando por esse angulo, acredito que alguns cuidados pessoais são mais eficazes que confiar sua segurança em um programa. Pensando nisso preparei algumas dicas que utilizo no dia a dia e podem ser úteis para maximizar a sua segurança.

5 dicas para melhorar a segurança do seu Chromebook

1) Ative a verificação de duas etapas da sua conta Google:

O Chrome OS usa os esforços contínuos de segurança do Google para identificar sites mal-intencionados e proteger cada guia do seu navegador. Uma dica de segurança é ativar a verificação em duas etapas da sua conta Google. Com isso todo acesso novo gerará uma mensagem de texto (SMS) ou um código por meio do Google Authenticator, necessário para fazer login.

2) Ative a navegação como visitante

Evite que outras pessoas usem o seu Chromebook na mesma conta que você. Ative o acesso como visitante no Chrome OS.

Configurar – Gerenciar pessoas
ativar navegação como visitante

Isso não apenas evita que eles acessem seus dados e arquivos, mas também impede que eles estraguem suas configurações. O histórico de navegação, os cookies, os favoritos e os downloads que eles fizeram como visitante serão descartados após o uso.

3) Baixe apenas aplicativos de lugares confiáveis:

Eu sei que, dependendo do aplicativo, custa caro, mas é preferível pagar do que baixar aplicativos hackeados de graça. Muitas vezes os aplicativos pagos que são distribuídos gratuitamente são, na verdade, iscas para infectar seu sistema. Tome cuidado de onde vem seus aplicativos, programas e extensões.

4) cuidados com links estranhos nos e-mails:

Parece bobeira, mas a grande maioria dos ataques de phishing acontecem via links enviados por e-mails. Desconfie que qualquer link estranho enviado a você. Na dúvida, não click.

Enfim, existem muitas outras dicas para se proteger de ataques e vírus. Essas são apenas sugestões para maximizar a sua segurança. Um abraço e até o próximo post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.